RadioWeb SUPERSTAR FM
Publicidade
Pedra Branca do Amapari/AP
Min.
Máx.
Em queda, Sistema Cantareira opera com 40,8% de sua capacidade nesta segunda
23/07/2018

São Paulo segue sem previsão de chuva nesta semana. Cantareira registra queda e opera com 40,9% da capacidade O Sistema Cantareira registrou mais uma queda nesta segunda-feira (23) e opera com 40,8% de sua capacidade, segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). O índice de água armazenada no manancial registra quedas consecutivas, já que no sábado (21) o sistema operava com 41% da capacidade e, no domingo (22), com 40,9%. O Cantareira chegou a atender 9 milhões de pessoas só na região metropolitana de São Paulo, mas atualmente abastece 7,4 milhões após a crise hídrica que atingiu o estado em 2014 e 2015. Os sistemas Guarapiranga e o Alto Tietê absorveram parte dos clientes para aliviar a sobrecarga do Cantareira durante o período de estiagem. Os índices dos outros cinco sistemas que abastecem a Grande São Paulo também tiveram queda na comparação com os níveis registrados no domingo. Veja os índices nos sistemas que abastecem os municípios paulistas: Cantareira: 40,8% da capacidade Alto Tietê: 53,7% da capacidade Guarapiranga: 64,6% da capacidade Alto Cotia: 61,2% da capacidade Rio Grande: 75,3% da capacidade Rio Claro: 69,8% da capacidade Sistema Cantareira abastece rios da região de Campinas Reprodução / EPTV Redução de pressão da água Durante a crise hídrica, o volume útil do Sistema Cantareira acabou no dia 11 de junho e o abastecimento de água começou a ser feito com o volume morto através de bombeamento. Em 18 de julho de 2015, o nível do Cantareira estava em menos de 10%. No mesmo dia em 2016, o nível havia subido para 47,5%. Em 2017, era de 64,7% e nesta quarta-feira (18) o manancial tinha apenas 41,5% da sua capacidade. A represa Jaguari é a primeira do sistema Cantareira e serve de termômetro do manancial. Uma área que no ano passado estava coberta por água hoje está totalmente seca. “Nós temos hoje uma preocupação em função do clima, o clima tá muito seco e a gente depende muito das chuvas para que possa alimentar as represas. Nós não temos uma crise hídrica, nós temos uma condição climática desfavorável. O abastecimento está normal na Grande São Paulo” afirmou o superintendente da produção de água da Sabesp, Marco Antonio Barroz. Nos últimos 4 anos, a Sabesp diminuiu a dependência do Cantareira com a realização de obras para transferência de água entre rios e o Sistema São Lourenço. O lavrador João Batista Quirino diz que a falta de água prejudica a economia local. “Muitas pessoas não querem mais investir na região por causa disso também, acha que a represa vai secar. É uma tristeza quando está bem baixa, todo mundo comenta porque ela é muito bonita quando está cheia”, afirmou. Torneiras Secas No Rua Bento Pereira, no bairro do Imirim, na Zona Norte de São Paulo, os moradores reclamam de falta d’água a partir das 22h e de entrada de ar nos canos, o que faz o hidrômetro girar. “Ocorre geralmente uma água falsa, na verdade. Porque os nossos relógios ficam virando aleatoriamente marcando consumo de água e nós estamos consumindo vento. Essa é a grande verdade”, reclamou o aposentado Edgar Tozzi. Segundo os moradores da rua, o problema se intensificou nos últimos três meses. Há pouco mais de um mês a equipe do Bom Dia SP mostrou as torneiras secas na Barra Funda durante a madrugada. Na época, a Sabesp fez uma vistoria e orientou os consumidores a instalarem caixas d’água. Segundo os moradores, a situação continua a mesma. A Sabesp disse que a companhia reduz a pressão na tubulação para evitar perdas e que esta medida é adotada por diversos países do mundo e orienta os moradores a ter caixa d’água com capacidade adequada. A empresa diz que não recebeu nenhuma reclamação de ar nos hidrômetros dos endereços exibidos pela reportagem. Tempo seco A semana na cidade de São Paulo começa com tempo ensolarado, esfria na terça (24) e volta a esquentar a partir de quarta (25), informou o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A tão esperada chuva não deve "dar as caras" por enquanto, e a maior parte da semana segue com tempo seco. SP tem tempo seco durante a semana Reprodução/TV Globo Veja temperaturas e umidades previstas até quinta (26): segunda-feira: mínima de 13ºC, máxima de 26ºC, umidade mínima de 35%; terça-feira: mínima de 12ºC, máxima de 19ºC, umidade mínima de 60%; quarta-feira: mínima de 13ºC, máxima de 21ºC, umidade mínima de 60%; quinta-feira: mínima de 13ºC, máxima de 29ºC, umidade mínima de 25%. No último fim de semana, a passagem de uma frente fria de forte intensidade pelo litoral de São Paulo trouxe ventos úmidos e tempo nublado à capital paulista. A massa de ar frio, contudo, se deslocou para o oceano, e as temperaturas sobem nesta segunda, com máxima de 26ºC e tempo seco novamente, que pode chegar a 35% de umidade relativa. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), índices inferiores a 60% não são adequados para a saúde. Na terça, uma nova frente fria de menor intensidade vinda do litoral deixa o tempo nublado e traz mais qualidade ao ar, com pelo menos 60% de umidade relativa. As temperaturas devem alcançar os 19ºC. Na quarta deverá haver predomínio de sol, e o ar fica progressivamente mais seco nos dias seguintes por conta da amplitude térmica (saiba mais no infográfico abaixo). Entenda o fenômeno da amplitude térmica Arte/G1
Fonte: G1
ALMOÇANDO COM MÚSICA
12:00 as 14:00
Publicidade
Peça a sua música!
Envie seu Pedido Musical preenchendo todos os dados abaixo:
Atendimento
- Pedra Branca do Amapari/AP
Ligue agora
(96) 8813-3240
Horário de atendimento
08:00 AS 18:00 HS